Os profissionais do Credito Pessoal. Se precisa de informações sobre credito pessoal, não procure mais.

28
Mai 11

Desde muito cedo que me interessei pelo mundo das finanças pessoais, que basicamente não é mais do que obter, manter e gerir o nosso dinheiro.  Ser autónomo financeiramente é um desejo que muitos aspiram e eu não sou diferente dos outros, por isso tenho desde cedo tentado aprender seriamente sobre este tema.

É bastante interessante verificar o quanto as finanças pessoais estão enraizadas na psicologia humana, como elas influenciam os nossos negócios, como influenciam o nosso relacionamento com o resto da sociedade, e como elas são parcela activa da vida, quer queiramos, quer não.

Tenho sido um aprendiz atento e cauteloso, e decidi fazer aqui uma espécie de apontamento, dos princípios básicos para evitar aos problemas financeiros:



Erudição é poder

 



Uma decisão atabulada e irreflectida, raramente é uma boa decisão. Bastantes vezes somos  coagidos a tomar decisões sem ter  a informação completa daquilo em que nos estamos a meter. Não se deixe levar pelas “oportunidades únicas” que lhe vão aparecer muitas vezes pela frente. Antes de  investir em alguma coisa, informe-se o mais possível acerca de o produto que vai investir. Se o negócio parece bom demais para ser verdade, provavelmente é. Informe-se devidamente e assim limite as hipóteses de poder ser enganado, aumentando ao mesmo tempo a sua capacidade de administrar o seu dinheiro.

 


Poupe Dinheiro

 

 

 

Hipoteticamente já está a pensar que tem bastantes despesas e é-lhe impossível conseguir aforrar alguma coisa no final do mês. A primeira coisa a fazer é uma analise e um registo minucioso das suas despesas. No nosso estilo de vida quotidiano, temos muitas despesas que podem ser reduzidas ou eliminadas: ginásios, transportes, refeições fora de casa, tarifários de telemóvel e/ou Internet, etc..

Quer uma sugestão pessoal?

Mande desligar o serviço de Televisão por cabo, e passe dar uma caminhada ou um passeio de bicicleta á noite. É um estilo de vida mais saudável e permite-lhe poupar uns cobres ao final de um tempo. Se as condições climatéricas não o permitirem, fique em casa jogando jogos de tabuleiro, didácticos, familiares que promovam   a convivência familiar.


A partir daqui tem que resolver o montante a poupar mensalmente, porém, não se esqueça, você deve tratar-se a partir daqui como o seu maior credor. Tal como não pode falhar no pagamento da electricidade ou da água, não pode falhar no pagamento do fundo “Eu”.  É duro ao inicio, mas depois torna-se um hábito,  e com alguma admiração irá produzir um fundo, que lhe servirá de boia de salvamento num dia pluvial, ou até, alguma coisa maior.


Perscrute, informe-se como disse antes de qual a melhor conta do mercado para as suas poupanças, sem despesas extras. Os bancos online são uma boa alternativa, têm preços mais competitivos do que os tradicionais.
Seguindo estes conceitos básicos e do senso comum, provavelmente não ficará rico, mas ficará muito mais longe de problemas financeiros.

Aprenda a gerir o seu orçamento familiar lendo mais dicas blog de finanças pessoais, o site que o ajuda a fugir á crise.

publicado por Nelson às 16:38

blogs SAPO